Templates da Lua

Perfil

Tamanho original

Meu perfil

BRASIL, Homem, de 26 a 35 anos, Informática e Internet, Livros
Outro - twitter.com/suedesantos

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner


follow suedesantos at http://twitter.com

Histórico

    + veja mais

    Outros Sites

    XML/RSS Feed
    O que é isto?

    Leia este blog no seu celular

    Visitante Número

    22/04/2010

    Privicidade em risco


    Redes sociais possibilitam superexposição do internauta, que fica vulnerável; veja dicas para proteger informações pessoais

    AMANDA DEMETRIO
    DA REPORTAGEM LOCAL

    As redes sociais são um palco para a superexposição, seja por vaidade, seja por ingenuidade. Usuários dizem o destino de suas férias, os restaurantes onde irão jantar, postam fotos, vídeos e acabam detalhando sua vida para quem quiser ver, incluindo criminosos.
    O norte-americano Israel Hyman parece ter sofrido as consequências de dar informações demais em 140 caracteres.
    Em 2009, ele avisou pelo Twitter que estava com a família em Kansas City -portanto, sua casa estava vazia. O pai de Hyman passou na casa da família enquanto eles viajavam e descobriu que ladrões tinha aproveitado a informação. "Não sabemos se o tuíte causou o roubo, mas isso dá motivo para pensar sobre o assunto", disse Hyman.
    Outro alvo quando o assunto é privacidade é o Facebook, que decidiu tornar pública parte dos dados de seus usuários em dezembro de 2009. Mesmo com seguidas mudanças, o site ainda recebe críticas.
    Na semana passada, a rede anunciou uma reforma no seu Centro de Segurança (face book.com/safety), que traz um guia para entender a privacidade no Facebook.
    Mas há quem diga que se preocupar com essa exposição é algo ultrapassado na era da internet. Gurus como o hacker Kevin Mitnick questionam o conceito de privacidade.
    Nesta edição, entenda por que o tema se tornou controverso e saiba fazer pequenos ajustes nos sites para controlar melhor o acesso externo às suas informações pessoais.

    73,1%
    dos americanos entrevistados por estudiosos das universidades American University e Bentley University disseram já ter recusado dar informações a sites por achar que eram pessoais demais ou desnecessárias

    54,3%
    disseram concordar que os consumidores perderam o controle sobre como informações pessoas são coletadas e usadas pelas empresas

    55,3%
    afirmaram já ter escolhido não usar um site ou fazer uma compra on-line por não estarem certos sobre como suas informações seriam usadas


    Escrito por Suede Santos às 00h47
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]
    Related Posts with Thumbnails